Arquivo da categoria: Receitas que dão certo

Aprenda a fazer REQUEIJÃO verdadeiramente CASEIRO

IMG_6613

O termo “caseiro” virou mais que moda, é um “mote”.

Porém, muitos não tem a menor ideia de como usar da maneira correta.

Para ser caseiro, devemos usar a menor quantidade possível de ingredientes processados, ultra processados e principalmente corantes e flavorizantes. Devemos obter o sabor de nossas preparações sem a interferência de produtos químicos, mesmo que eles sejam obtidos por meio de produtos naturais.

Movimento Comida de VerdadeComo parte do Movimento comida de Verdade, farei para vocês um requeijão verdadeiramente caseiro.

A receita é muito simples e pode ser feita de diversas maneiras, bastando ter um pouco de criatividade você terá sempre a mãos um requeijão de altíssima qualidade e o melhor de tudo VOCÊ SABE O QUE TEM DENTRO DELE, pois no produto industrializado, quem garante: como foi produzido, onde foi produzido, a maneira como foi armazenado e a quantidade real dos ingredientes ali dentro inseridos.

SEGUE A RECEITA

INGREDIENTES:

  • 350 a 400g de queijo minas padrão
  • 500ml de creme de leite fresco
  • 1 pedaço pequeno de cebola
  • 1/3 de dente de alho inteiro

MODO DE PREPARO:

  • Cortar o queijo em quadrados pequenos, colocar no liquidificador e deixar reservado;
  • Adicionar o creme de leite fresco em uma panela com a cebola e o alho. Colocar em fogo alto até levantar fervura. Quando isso ocorrer apague o fogo e despeje diretamente no copo do liquidificador;
  • Ligar o liquidificador na potência máxima e deixar bater bem até homogeneizar a massa; Logo em seguida colocar na potência baixa e deixar bater por aproximadamente 2 minutos.
  • reservar em potes de vidros já previamente esterilizados.

A receita, rede 3 potes de 200g e custa em média R$5,00 cada pote.

Você poderá guardar os potes no freezer por até 4 meses.

Em geladeira eles duram no máximo 7 dias em geladeira.

Quando for descongelar, utilize uma faca de pão para homogeneizar novamente o requeijão depois de descongelado.

IMG_6595

Anúncios

Pizza de Quinoa -SEM GLÚTEN

Porque eu gosto dessa pizza?

Primeiro, ela desmitifica

Não que eu tenha achado a pedra santa, pois a receita já existe a muito tempo.

O que eu fiz: fazer com que todos consigam reproduzi-la , pois muitas dessas receitas que via na internet a sua grande maioria não funciona.

Quando fiz a apresentação do meu Workshop no COINE (congresso de nutrição especializada) e quis trazer uma pizza que ao saboreá-la identificasse como uma.

Porém, o mais importante é entender que como a sua base é de amido de milho, sua concepção é uma massa de panqueca sem glúten.

Vamos a receita:

INGREDIENTES:

  • 150g de quinoa crua
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 2 ovos
  • 1 ramo de salsa cortado (opcional)
  • 1 dente de alho esmagado  (opcional)
  • queijo muçarela (para a pizza)
  • molho de tomate (para a pizza)

Modo de preparo:

  • Coloque a quinoa em uma panela com água suficiente para cobrir. Coloque no fogo para cozinhar a quinoa. Ferva por 20 minutos aproximadamente, ou até que ela esteja cozida e deixe esfriar.
  • Em uma tigela, coloque a quinoa cozida, os ovos, 450ml de água, o azeite, sal e a salsa picada. Misture tudo muito bem.
  • Despeje em uma forma de pizza antiaderente untada com azeite e amido de milho.
  • Coloque no forno a 250ºC, até assar a massa.
  • Retire do forno e coloque o recheio que desejar e coloque novamente no forno.

Importante: tentei em diversas formas de diferentes tipos e a única que consegue fazer sem grudar é realmente na formas de teflon. Por isso recomendo nelas, caso contrário irá ficar grudado.

Petiscos de Chocolate com Nozes

IMG_6100 Essa receita é muito fácil, e sempre a uso quando desejo fazer algo fácil com chocolate.

Fica muito bom e podemos sempre combinar como um petisco doce para algum evento em especial.IMG_6091

A ideia também surge para provocar vocês a pensarem fora da caixa e fazermos preparações diferentes com dois ingredientes muito comuns e fáceis de serem encontrados.

É uma ótima ideia também para os meus amigos celíacos que acompanham o blog e que as vezes ficam com receio de comprar um produto de chocolate feito com nozes por conta da contaminação com outros produtos feitos com trigo. Normalmente os chocolates fracionados não possuem glúten justamente por normalmente serem feitos em processos diferentes dos outros tradicionais. Usei para essa receita o chocolate amargo da Harold

INGREDIENTES:

  • chocolate meio amargo FRACIONADO
  • nozes
  • pinça de pegar gelo pequena

MODO DE PREPARO:

Derreter o chocolate em banho-maria;

Despejar as nozes dentro do vasilhame de chocolate derretido;

Em um tabuleiro, cubra com papel manteiga e com um pegando pegador de gelo pequeno pegue as nozes e coloque no papel manteiga. quanto preencher todo o tabuleiro, leve-o para a geladeira e espere 15 a 20 minutos que estará já durinho e ótimo para poder comer.

obs.: o Chocolate deve ser o fracionado, pois ele consegue formar uma casca linda e que não derreterá fora da geladeira.

Pão de Ló sem GLÚTEN

IMG_5854

Essa massa de pão de ló é para deixar guardada na gaveta. E sempre que você precisá-la fazer a uma pessoa que não pode ingerir glúten.outsidebox

Ou para você mesmo que não pode consumir glúten por algum motivo especial.

O que eu mais gosto nessa massa é que ela desmitifica certos pré conceitos: quando falam que fazer bolos sem glúten é difícil ou fica ruim.

E como é simples fazê-la sem realizarmos grandes alterações.

Aliás, para muitos que ainda insistem em dizer que para certas preparações é necessário o uso do trigo. Acho esse pensamento muito retrógrado em um mundo com tantos alimentos e tanta diversidade,  é diminuir demais a nossa capacidade de transformar o alimento.

Portanto, não fiquemos pensando dentro da caixa. A primeira regra que devemos ter em mente é justamente não pensar dentro dela

Vamos a receita:

INGREDIENTES:

  • 4 ovos
  • 180g de açúcar branco
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 pitada de sal
  • 130g de amido de milho

PREPARO:

  • Coloque as claras e as gemas em duas vasilhas separadas. Misture o açúcar com as gemas. Adicione também a baunilha e bata com a batedeira até formar um creme claro e reserve;
  • Bata as claras em neve. Adicione o sal enquanto bate.
  • Misture as claras com o creme de gemas. Adicione o amido peneirado e volva delicadamente;
  • Pré aqueça o forno em temperatura média (190ºC).
  • Untar uma assadeira redonda com aproximadamente 30cm com óleo e amido de milho e despeje a massa.
  • A massa fica pronta em aproximadamente 20 a 30 minutos, ou até que se enfie uma faca afiada e ela saia limpa.
  • Após pronto, retire do forno e, deixe esfriar antes de desenformar.

RESSALVAS:

Fiz a massa não com açúcar branco conforme enalteço na receita, mas sim com açúcar demerara que é ligeiramente mais escuro, o que deixa a massa com uma tonalidade de caramelo conforme podem ver nas fotos. Caso façam com açúcar demerara, primeiramente deverá batê-lo no liquidificador, pois ele é muito grosso para fazer o creme de gemas inicial, podendo estragar a maciez da massa.

A massa tende a ficar com um gosto ligeiramente acentuado de ovo, normal em uma massa de pão de ló desse tipo, onde precisa-se de bastante creme de ovos e claras em neve para dar a aeração a preparação

Bolo Fluffy de banana 100% integral!!!

IMG_5775

Vocês devem estar se perguntando, o porque o fluffly no bolo!

A ideia de chamar ele de fluffy veio de tentar fazer um bolo integral que fosse mais macio do que os convencionais.

Não que eu tenha inventado a roda, afinal fazer bolo de banana está longe de ser inventado nos dias de hoje.

O cerne primal de fazer o bolo também é chamar a atenção de vocês para fazer mais preparações integrais. Mas não basta colocar farinha de trigo integral no bolo e sorrir para o universo!!! Tem que entrar no X do integral…

É usar todos as matérias primas em seu moto integral na sua integralidade!!!

Culturalmente tiramos as cascas de muitos alimentos que eles poderiam ir necessariamente com a casca que iriam ficam tão gostosos quanto!

Mas vamos a receita!!!

Ingredientes:

  • 400 g de farinha de trigo integral
  • 200 a 250g de açúcar mascavo ou demerara
  • 3 ovos
  • 40ml de azeite
  • 3 a 4 bananas com casca
  • 20g de fermento químico (2 colheres de sopa cheias)
  • 1 colher de café de sal

Preparo:

Separar as gemas das claras. Bater as claras até em ponto de claras em neve e reservar.2015-05-16 17.50.50

Em uma batedeira, colocar todos os ingredientes menos as claras em neve e a banana.

Bater tudo até ficar uma massa homogênea.

Cortar as bananas em rodelas com casca e tudo (usar uma boa faca de serra ou então uma faca afiada para isso, mas atenção: lave muito bem as bananas antes. deixando-as de molho em solução hipoclorito e depois lavar muito bem com uma esponja macia e sabão, afinal você estará comendo a casca da fruta)

adicionar a mistura na batedeira e bater bem. Tome cuidado para não desmanchar todas as bananas deixando a massa com pedaços de banana para caracterizar o bolo como tal.

Agora adicione as claras em neve na cuba da massa e ir volvendo as poucos até misturar a massa por completo (se misturar muito forte irá perder as claras em neve e o bolo não ficará FLUFFY. 😦

Caso deseje deixá-lo mais macio adicione ao bolo mais 1 a 2 claras!

Colocar em forno médio e em forma untada por aproximadamente 40 minutos.

Espero que tenham gostado.

A ideia partiu de fazer um bolo o máximo possível sem industrializados chegando ao mais próximo do bolo caseiro que os nossos antepassados faziam quando não existia todos os nossos alimentos refinados e industrializados!!!

Reclamações de plantão: o bolo não fica muito doce!!! ele não está dão docinho!!! foi feito exatamente para ser assim, sem muito açúcar, pois no passado açúcar era artigo de luxo e os nossos bolos antigamente quase não eram adoçados. Usava-se muito o suco de algumas frutas para adoçar o bolo ou a preparação.

O bolo não está tão fofinho assim!!! É impossível fazer uma preparação sem produtos refinados e deixá-lo da mesma maneira que os refinados, portanto: bolo integral, jamais será igual ao bolo com farinha branca. Acontece que nele estamos usando uma farinha que nos faz algum bem… Já a farinha branca de nada nos trás.

Considerem essas questões na hora de comer algum produto integral!!!

IMG_5777

Pão integral fresquinho!!!

A receita de hoje é um pão integral 70% que sempre faço aqui em casa. Dificilmente compro pão de forma ou francês, prefiro sempre fazer meus pães.

Assim sei exatamente a procedência deles e fora que, acordar pela manha com um pão fresquinho e quentinho é muito mais gostoso.

Nesse pão utilizo 70% de farinha integral e 30% de farinha de milho. Porém,  podem substituir pelos 30% de ferinha branca.

Mas porque farinha integral?

É mais saudável, é rica em fibras, é rica em minerais no qual a farinha branca não tem. Prefiro ficar com a integral.

O pão fica com gosto de amêndoas e castanhas torradas, por conta do próprio sabor da farinha.

Ingredientes

  • 350g de farinha de trigo integral
  • 150g de farinha de milho fina (fubá)
  • 40g de açúcar demerara ou mascavo
  • 40g de azeite virgem ou extra virgem
  • 5g de sal
  • 15g de fermento biológico fresco ou7g de fermento seco
  • 250 a 300ml de água (aproximadamente)

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes com exceção da água.

Vá introduzindo a água aos poucos até ficar uma massa bem homogênea. Tome cuidado para não colocar os 300ml de água de uma vez só. Pois em alguns casos a massa não necessita de tanta água assim. Se colocar muita água, 2015-05-14 22.01.14você terá que acrescentar mais farinha de trigo para dar ponto na massa novamente.

Depois de formar uma massa homogênea onde ela desgrude da mão, solve a massa por aproximadamente 15 a 20 minutos. Esse tempo é importantíssimo pois o trigo integral possui muita fibra e exige uma sova mais longa. Caso contrário, terá um pão borrachudo.

Faça uma grande bola com a massa, e deixe-a descansar por aproximadamente 20 minutos.

Depois disso, faça 3 bolas menores tomando o cuidado para deixar a massa bem homogênea e sem “rasgos” na hora de bolear (no caso, eu fiz formato padrão de pão mesmo).

Coloque em uma assadeira untada levemente com azeite e deixe fermentar por aproximadamente 3 a 4 horas (ou até que atinjam 2,5 x o tamanho original), em um local fresco e arejado, com um pano ligeiramente úmido por cima do pão.

Antes de assar, coloque o forno no máximo por 10 minutos.

Colocar os pães no forno e deixar assá-los em temperatura máxima por 10 minutos. Depois disso, abaixar a temperatura para 180 a 200ºC por mais 20 minutos aproximadamente.

O pão estará pronto quando formar uma leve casca amarronzada por cima dele.

2015-05-15 07.48.05

Brócolis “crispy” com limão e alho

image

Receita transcrita do site Smitten Kitchen.

Adoro trabalhar legumes e leva-los ao forno para deixarmos crocantes.

A receita também pode ser feita com o nosso bom e velho conhecido quiabo.

Para a receita você irá precisar de:
– brócolis (a receita usou o americano, porém acho o nosso nacional 1000 vezes mais saboroso, podendo ser substituído)
– limão (na receita foi usado lima da Pérsia, porém você pode usar o nosso limão tradicional)
– sal
– pimenta do reino moída na hora
– azeite
– alho picado

image

Pique o brócolis, separando suas flores do seu caule.

image

Para aproveitamento do caule: com um descascador, descasque a parte mais fibrosa do caule e suas cascas. Dessa forma conseguirá comer o caule sem muitas fibras desagradáveis.

image

Depois disso, pique ligeiramente o caule em pedaços menores que facilitarão quando forem para o forno.

image

Depois disso, em uma assadeira distribua o brócolis e regue com azeite, tempere com o sal e a pimenta do reino moída na hora. Por último, salpique o alho picado e misture bem.
Leve a assadeira em forno bem alto e asse o brócolis até que fique com essa cor dourada de cinema (rsrs).

image

Mas cuidado para não colocar muito azeite, e deixar a preparação encharcada.
Essa é uma ótima maneira de mudar um pouco a maneira de encararmos alguns legumes.

Comumente as pessoas sempre cozinham o brócolis, mas esquecem de suas infinidade de preparações que podemos criar a partir deles.

Muitos legumes quando assados diretos sem terem sido cozidos, preservam boa parte de seu sabor original e na maioria das vezes se intensificam.

Dessa forma, nossa dieta poderá sempre se renovar e deixá-la sempre com novos sabores e principalmente sem monotonia.