Arquivo da tag: Jean Phillipe Lafond

Pão de queijo feito em forma

Amigos, peço desculpas ao longo período em que estive fora de meus pots. Finalmente estou de volta e com força total. Pretendo fazer um post novo por semana de receitas e além disso estarei escrevendo algumas críticas sobre gastronomia e nutrição. Críticas nas quais acho válidas de compartilharem com vocês.

Caso desejem enviar um email, basta clicar aqui.caneles_stemilion

A receita de hoje é uma variação de uma antiga receita que tenho de pão de queijo de sanduicheira e, resolvi fazer na forma que tenho de bolinhos de cannelé de Bordeaux, no entanto pode se usar qualquer tipo de forma antiaderente.

Segue a receita:

  • 3 ovos
  • 1 xícara de leite
  • 2 xícaras de polvilho azedo
  • 1 colher de sopa de sal
  • 1/3 de xícara de azeite ou qualquer gordura de sua preferência.
  • 1 1/2 xícara de queijo minas padrão ralado no ralo fino.

Modo de Preparo:

Misture todos os ingredientes com o auxílio de um batedor, colher de silicone ou batedeira até que tudo fique homogêneo.

obs.: a massa deverá ficar na consistência líquida.

Coloque a massa nas formas, porém somente até a metade e coloque no forno previamente aquecido à 200°C, por 30 a 45 minutos aproximadamente.

O resultado é esse. Na forma os pães de queijo tendem a ficarem bem macios e sem muita casca típicos dos pães de queijo tradicionais. Isso porque, a própria forma oferece uma proteção para os pães que estão assando, deixando-os mais macios, fofos e concentrados de sabor.

Espero que tenham gostado, pois estavam maravilhosos.

 

Anúncios

Cerveja Ecológica existe? Claro, todas são!!!

algum tempo atrás, experimentei uma cerveja com nome bem sugestivo: a ECOBIER!banner4

De tão sugestivo, não resisti e tive de experimentar. Bom, seu gosto se equipara ao de uma “skol da vida” mas, seu preço nem tanto assim.

O que me deixou intrigado na verdade fora realmente com seu nome e sua proposta um pouco digamos intrigante!!!

Em seu Slogan eles dizem: EcoBier Um brinde a Natureza.

Agora me pergunto: em que se baseiam suas propostas de sustentabilidade?

Transpondo de seu próprio site: www.ecobier.com.br

“Os materiais de divulgação são confeccionados com papel reciclado ou de origem de reflorestamento.

As embalagens são prioritariamente retornáveis, de forma que sejam reutilizadas pelo maior tempo possível e não descartadas ao meio ambiente, além de que – quando isto ocorrer (como é o caso do vidro ou lata de alumínio) – seu índice de reciclagem seja superior a 80%. Antes de abrir uma ECOBIER, observe a garrafa ou latinha detalhadamente.”

Vamos aos fatos:

  1. Que empresa hoje consegue utilizar papel que não seja de papel de mareira de reflorestamento? (Afinal, hoje em tese as empresas só podem fabricar papel de manejo sustentável. Então qualquer empresa de Cerveja hoje que rotule seus produtos com papel  são sustentáveis por si só!
  2. Utilizar vidro ou alumínio e falar que dessa forma utilizam embalagem sustentáveis é completamente esdruxulo. Em minha opinião é chamar o próprio consumidor de besta, burro e idiota!

Que empresa de cerveja utiliza em suas embalagens a garrafa Pet? Então podemos também concluir que: todas as empresas de cervejas do mundo são sustentáveis!!!

A sustentabilidade deve ser colocada em prática de modo a ser a diferença em seus produtos e não fazer um produto onde conscientemente suas embalagens são sustentáveis e dessa forma rotulamo-os de sustentável.

Sejamos mais conscientes em nossas escolhas. Passamos a ser sustentáveis pelo próprio nome que a palavra é definida:

“O desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades ” 
(Brundtland, 1987).

O termo ecológico deve ser empregado com a premissa da sustentabilidade. Caso contrário, não existe sentido em falar que é ecológico, porque não usa garrafas PET.

Dessa forma também sou ecológico, pois não consumo garrafas PET. E será que somente isso que nos define como sermos ecológicos?

Ser for para consumir uma cerveja porque ela é Ecológica, consuma qualquer uma. Afinal todas utilizam vidro ou alumínio em suas embalagens.

NÃO CONSUMAM PRODUTOS QUE VINCULAM PROPAGANDA ENGANOSA SOMENTE PARA A AUTO PROMOÇÃO.

ocobier

A Gastronomia dos plantadores de Temperos…

gula1Não que eu seja contra ao fato, mas as vezes me irrita profundamente  como conduzem certas formas de decorar alguns pratos.

O pior, é vermos que algumas pessoas defendendo a finco que tal fato é novo ou inovador dentro da gastronomia. O que me deixa fatidicamente perplexo com tamanha desatenção no passado.

Quando comecei meus primeiros passos na gastronomia há 18 anos atrás, aprendi que plantar temperos no topo dos pratos era legal. Era uma maneira rápida e prática de decorar um prato. Mais tarde percebi que isso já naquela época era considerado um conceito “oldSchool”.

Como falei, não que eu seja contra, pois algumas decorações ficam lindas se soubermos trabalhar com os temperos na maneira certa.

Mas, recuso-me a aceitar a presumida de que este é um conceito novo ou extremamente atual. Alguns mais céticos dizem que é um conceito “renew” e por isso está atual novamente.

A questão, é que devemos sempre nos atualizar.

“Ao invés de ficarmos estagnados no passado, usemos eles para que a cada dia que passe fiquemos mais e mais atuais em nosso tempo.”

DICA de Sucesso, seja um empreendedor FUNCIONAL!!!

A um tempo atrás, escrevi um post sobre como ser bem sucedido tendo uma empresa que venda “saúde”  nas redes sociais. Bastava tirar fotos nas redes sociais de biquíni em frente ao espelho e mostrar fotos de saladas. Atras disso tudo, bastava colocar o endereço de sua loja virtual de seus produtos tais como: bolsas, calças tipo leg, shakes e complementos vitamínicos.

Agora essa moda ficou um pouco mais em baixa, embora ainda não deixem de existir diversos exemplos que não convém salientar aqui.

Hoje o marketing virou os holofotes para outro lado no mundo da nutrição!!!

Entramos na era dos “tudo FUNCIONAL”

Porque funcional agora virou estratégia de marketing para tudo e todos os tipos de alimentos em todo o planeta Terra. Dessa forma a Nutrição Funcional que é uma abordagem completamente científica e metodológica está tendo seu termo “usurpado” por muitos de uma forma completamente arbitrária e sem nexo.

Conforme alguns autores, a definição de alimentos funcionais é simples e objetiva. E que a partir dela, abre-se um leque muito grande de alimentos. E todos com diversas alegações e infinitos usos. Apesar de não existir uma definição universal, existe um consenso:

“Alimentos funcionais são aqueles que contêm em sua composição, substâncias nutrientes ou não nutrientes, capazes de modular as respostas metabólicas do indivíduo, que resultam em maior proteção e estímulo à saúde”

Os primeiros estudos sobre alimentos que evidenciavam algum benefício à saúde foram de caráter epidemiológico, nele apontou-se algumas correlações. Tais como:

Consumo cotidiano de produtos de tomate que são ricos em licopeno, foi associado com a reduzida incidência de câncer de próstata (Giovanucci, 1999);

A ingestão elevada de chá verde ou chá preto, os quais são ricos em polifenóis, foi correlacionada à baixa incidência de câncer no aparelho digestório (Blot et alli, 1996);

A fibra alimentar, utilizada em grande proporção na dieta de algumas populações indígenas da África do Sul, foi utilizada para explicar a menor incidência de várias doenças do intestino, inclusive câncer de cólon e de reto (Cleave, 1974);

Pesquisas é o que não faltam nesse campo. Mas onde eu quero chegar com tudo isso???

É que o pessoal de Marketing descobriu o maior “filão” da atualidade.uvascomchocolate

É vender tudo e qualquer coisa com o RÓTULO DE FUNCIONAL.

Daqui a pouco iremos ver uma etiqueta nos tomates com os seguintes dizeres: Este alimentos é funcional!!!

Mas a “pornografização” da palavra funcional não para por ai.

Já vi de tudo para se vender algum produto sendo esse com alegações funcionais. Não que eles estejam errados,
pois realmente vendem produtos que contém em sua elaboração alimentos funcionais. vou citar alguns como exemplo:

Uva Passa com chocolate branco (claro né gente. A uva possui resveratrol e por isso podemos consumir esse alimento funcional)balsamico

– biscoitinho de goiaba (óbvio né pessoal, afinal o doce de goiaba a famosa goiabada tem bastante licopeno e com isso podemos considerar ele funcional)

– Vinagre balsâmico  (como não pensei nisso antes… imaginei agora um monte de resveratrol dentro do balsâmico envelhecido)

Madeleines funcionais (tão na cara né… de agora em diante todas as minhas madeleines serão funcionais. basta eu introduzir o óleo de coco para deixa-las ainda mais funcional)

– cursos de culinárias em profusão, afinal basta fazer uma pizza e colocar tomate para que esta vire funcional!!!

“Enfim, o que quero dizer é que os alimentos funcionais são, na verdade, “ingredientes” que devem ser inseridos diariamente nas refeições visando melhoria da saúde. Porém, o fato de um produto conter um “ingrediente” funcional não exime de forma alguma o fato dele conter alto índice de gordura ou carboidrato, por exemplo.”

Acho injusto com milhares de profissionais no mercado que fazer milhares de preparações saudáveis em seus GASTRONOMIA-FUNCIONAL-MARCELO-FACINIlocais de trabalho e simplesmente não são rotulados como funcionais.

É egoismo de nossa parte rotularmos nossos produtos como funcionais, quando estamos falando de alimento.

Ao fazermos um sanduíche de tomate com linhaça e queijo branco um rótulo de funcional, estaremos tratado a alimentação como MERCADORIA.

E ao fazermos dessa forma estamos retirando o alimento do status quo ALIMENTO UM DIREITO A TODOS!!!

Sejamos profissionais de saúdes mais conscientes.

Iogurte Greco Batavo faz propagada enganosa!!!

grego_morango_pote_A-1024x682

 

Vamos tomar cuidado com esse tipo de propaganda.

No rótulo, diz que ele tem duas vezes mais proteínas que um iogurte tradicional. Porém ao olhar seu rótulo vê-se queiogurte_natural_integral ele possui a quantidade de proteínas normais para um iogurte natural por porção.

Questionem quando virem propagandas do gênero, o alimento que faz o iogurte greco é o mesmo que faz o iogurte natural da casa de vocês, a matéria prima não muda. Em suma, a não ser que eles tenham inserido proteína de alguma forma, o leite continuará sendo leite.

A porção do iogurte Greco é de 120g enquanto os iogurtes tradicionais contêm, aproximadamente, 170g.

A quantidade de proteína no Iogurte Greco indicada no rótulo é de: 7,4g por porção de 120g

A quantidade de proteína média em um iogurte natural é de: 7,0g por porção de 170g

Se fossemos fazer uma regra de três para igualar a porção, verificaremos que o iogurte greco irá ter 10,4g de proteína por 170g de porção

Em suma: um aumento de 42% aproximadamente e não 2 VEZES CONFORME INDICA O RÓTULO.

Fora que a porção de proteína do iogurte Greco se equipara ao de qualquer iogurte Natural tradicional.

Afinal: o normal é consumir apenas 1 porção por vez. Dessa Forma podemos falar que o Iogurte da Greco possui uma densidade maior, até explica a sua forma bem mais compacta e densa.

Portanto não escolham ele porque TEM MAIS PROTEÍNAS e fará melhor a sua saúde. Pois Iogurte natural, é iogurte natural e sua função FUNCIONAL não muda!!! Desde que acondicionado Adequadamente!

iogurte-grego-batavo

A melhor chef do mundo é uma Brasileira

helena-vogue

Devo dar parabéns ao trabalho magnífico que essa pessoa transpõe em seus pratos.

Helena Rizzo, do Maní, foi eleita a melhor chef mulher de 2014. O prêmio Veuve Clicquot é uma categoria especial do World’s 50 Best, da revista britânica Restaurant, que todo ano elege os 50 melhores restaurantes do mundo. A lista completa de vencedores será anunciada em Londres, no dia 28 de abril.

Este prêmio foi criado em 2011, uma categoria especial, e já consagrou a francesa Anne-Sophie-Pic (restaurante Pic), a italiana Nadia Santini (Dal Pescatore) e a espanhola Elena Arzak (Arzak).

Confira mais no site The words Best 50

Um terço dos alunos de gastronomia se desiludem com a profissão

É o que diz no site da FOLHA.COM

Achei o numero pouco expressivo, tudo bem que não tenho dados específicos sobre o assunto. Mas quando dava aula nas instituições de ensino em gastronomia, número da desilusão era imenso.

Primeiro pelo seguinte fato: as escolas de gastronomia de hoje estão focadas na formação não de um gastrônomo mas sim de um chefe de cozinha.

O aluno chega no curso crente que irá atuar em monte de lugares, visto que a gastronomia é um curso extremamente multidisciplinar. Porém ele encontra somente disciplinas e professores que lhe ensinam a dominar um fogão.

O segundo: que apesar da gastronomia se um curso muito multidisciplinar as próprias instituições as vezes não veem dessa forma e não mostram para o aluno a gama infinita de ramos que ele pode operar, alias mostra somente um: o segmento de restaurantes, basicamente sendo chefe deles.

Acredito que esse número só melhorará quando as instituições de ensino verem seus alunos da forma como o curso de gastronomia deve ser: um curso multidisciplinar

alunosdegastronomia