Arquivo da tag: noticias de gastronomia

Iogurte Greco Batavo faz propagada enganosa!!!

grego_morango_pote_A-1024x682

 

Vamos tomar cuidado com esse tipo de propaganda.

No rótulo, diz que ele tem duas vezes mais proteínas que um iogurte tradicional. Porém ao olhar seu rótulo vê-se queiogurte_natural_integral ele possui a quantidade de proteínas normais para um iogurte natural por porção.

Questionem quando virem propagandas do gênero, o alimento que faz o iogurte greco é o mesmo que faz o iogurte natural da casa de vocês, a matéria prima não muda. Em suma, a não ser que eles tenham inserido proteína de alguma forma, o leite continuará sendo leite.

A porção do iogurte Greco é de 120g enquanto os iogurtes tradicionais contêm, aproximadamente, 170g.

A quantidade de proteína no Iogurte Greco indicada no rótulo é de: 7,4g por porção de 120g

A quantidade de proteína média em um iogurte natural é de: 7,0g por porção de 170g

Se fossemos fazer uma regra de três para igualar a porção, verificaremos que o iogurte greco irá ter 10,4g de proteína por 170g de porção

Em suma: um aumento de 42% aproximadamente e não 2 VEZES CONFORME INDICA O RÓTULO.

Fora que a porção de proteína do iogurte Greco se equipara ao de qualquer iogurte Natural tradicional.

Afinal: o normal é consumir apenas 1 porção por vez. Dessa Forma podemos falar que o Iogurte da Greco possui uma densidade maior, até explica a sua forma bem mais compacta e densa.

Portanto não escolham ele porque TEM MAIS PROTEÍNAS e fará melhor a sua saúde. Pois Iogurte natural, é iogurte natural e sua função FUNCIONAL não muda!!! Desde que acondicionado Adequadamente!

iogurte-grego-batavo

A melhor chef do mundo é uma Brasileira

helena-vogue

Devo dar parabéns ao trabalho magnífico que essa pessoa transpõe em seus pratos.

Helena Rizzo, do Maní, foi eleita a melhor chef mulher de 2014. O prêmio Veuve Clicquot é uma categoria especial do World’s 50 Best, da revista britânica Restaurant, que todo ano elege os 50 melhores restaurantes do mundo. A lista completa de vencedores será anunciada em Londres, no dia 28 de abril.

Este prêmio foi criado em 2011, uma categoria especial, e já consagrou a francesa Anne-Sophie-Pic (restaurante Pic), a italiana Nadia Santini (Dal Pescatore) e a espanhola Elena Arzak (Arzak).

Confira mais no site The words Best 50

Um terço dos alunos de gastronomia se desiludem com a profissão

É o que diz no site da FOLHA.COM

Achei o numero pouco expressivo, tudo bem que não tenho dados específicos sobre o assunto. Mas quando dava aula nas instituições de ensino em gastronomia, número da desilusão era imenso.

Primeiro pelo seguinte fato: as escolas de gastronomia de hoje estão focadas na formação não de um gastrônomo mas sim de um chefe de cozinha.

O aluno chega no curso crente que irá atuar em monte de lugares, visto que a gastronomia é um curso extremamente multidisciplinar. Porém ele encontra somente disciplinas e professores que lhe ensinam a dominar um fogão.

O segundo: que apesar da gastronomia se um curso muito multidisciplinar as próprias instituições as vezes não veem dessa forma e não mostram para o aluno a gama infinita de ramos que ele pode operar, alias mostra somente um: o segmento de restaurantes, basicamente sendo chefe deles.

Acredito que esse número só melhorará quando as instituições de ensino verem seus alunos da forma como o curso de gastronomia deve ser: um curso multidisciplinar

alunosdegastronomia

Empresas que vendem produtos Integrais terão de ser mais transparentes!!!

paes

Finamente, uma ação pública para deixar a “casa” dos produtos industrializados no Brasil um pouco mais arrumada.

As empresas fabricantes de pão integral, terão até 180 dias para colocar a porcentagem de farinha integral em suas embalagens.

Tal motivação surgiu de promotor Pedro Rubim, da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e do Consumidor do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), onde foram observadas diversas denuncias sobre consumidores questionando a quantidade de farinha integral dentro da formulação de seus pães. Eu inclusive já tentei diversas vezes com as marcas supracitadas no artigo e jamais me deram uma resposta exata da quantidade, sempre diziam que tal formulação era segredo devido a receita do produto, tudo isso para mim é desculpa muito das esfarrapadas.

Infelizmente, as empresas se baseiam em uma resolução, a  263/2055, que regulamenta produtos à base de cereais, amidos e fatinhas , realmente, não estabelece quantias mínimas para alegação de que o produto é integral. “Dessa forma, se o produto utiliza qualquer quantidade de farinha integral em sua composição, a rotulagem alegará que há farinha integral em sua formulação”, explica a nota da reguladora.

A questão tomou tanta relevância que já tramita no Congresso Nacional o projeto de lei 5.081/2013, do deputado Onofre Santo Agostini (PSD/SC), que estabelece que para se intitular integral, o produto terá que apresentar em sua composição mais de 51% de grão integrais. O projeto já passou pela Comissão de Desenvolvimento Econômico e Comércio da Câmara dos Deputados, onde teve parecer favorável e ganhou um substitutivo, inclusive com acréscimo sugeridos pela Anvisa, como a ampliação dos parâmetros a outros produtos integrais como bolos, biscoitos, macarrão e até as próprias farinhas. A reguladora também sugere que a lei preveja uma punição por descumprimento. Agora o texto está na Comissão de Defesa do Consumidor, explica o autor do projeto Agostini.

Vamos ver se as empresas cumprem com o prometido!!!

Agora foi a vez dos Supermercados Zona Sul – PROCON mais uma vez!!!

zona-sul

 

Se a Fiscalização sanitária não ajuda, ao meno o PROCON tem estado bastante ocupado no Rio de Janeiro.

O que eu fico mais impressionado é o balanço final da operação. Os números são astronomicamente, jesus cristo carne vencida desde setembro e em Copacabana teve somente 180kg de carne apreendida de uma só vez. Em destaque para os:

4 – Leme (Avenida Atlântica, 866): 72kg de carne moída industrializada Friboi. Venda suspensa.

5 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1369): 21kg e 600g de carne moída Marfrig.

6 – Humaitá (Rua Humaitá, 110): 32 bandejas (600g) de carne moída Marfrig, 38 bandejas (500g) de carne moída Friboi. Produtos retirados da área de vendas devendo-se dar outra destinação que não seja a venda ao consumidor.

7 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1200): 65kg de carne moída Friboi e 60kg de carne moída Marfrig.

8 – Flamengo (Rua Senador Vergueiro, 51): 25kg de carne vencida em setembro de 2013, 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação, 16 bandejas (500g) de carne moída Friboi destinadas a outro fim que não seja a venda ao consumidor.

9 – Botafogo (Rua Arnaldo Quintela, 70): 25kg e 900g de carne moída embalada.

14 – Leblon (Rua Bartolomeu Mitre, 705): 34kg e 580g de carne moída na área de venda.

16 – Leblon (Rua Carlos Góis, 344): 30kg de carne moída Marfrig para devolução ao fabricante.

17 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 591): 180kg de carne moída Friboi.

19 – Ipanema (Rua Prudente de Moraes, 49): 87kg e 960g de alimentos vencidos entre carne bovina, queijos e cream cheese. Máquina de moer interditada.

 

 

 

Segue a Notícia na integra:

Procon Estadual recolhe mais de uma tonelada de produtos impróprios no supermercado Zona Sul

ASecretariade Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon Estadual, realizou nesta terça-feira (28/01) uma fiscalização, em conjunto com a Secretariade Estado de Fazenda, nas filiais da rede de supermercado Zona Sul. No total, a operação vistoriou 28 estabelecimentos, dos quais o Procon Estadual autuou 20,zonasul2 que serão multados. Desses, 17 cometiam uma irregularidade em comum: a venda de carne previamente moída – o que é proibido no estado do Rio. Foram recolhidos pela fiscalização mais de uma tonelada de produtos impróprios para consumo, dos quais 822kg eram de carne moída.

O objetivo da ação conjunta foi identificar redes de varejo que estejam com produtos vencidos, infligindo o Código de Defesa do Consumidor e praticando sonegação fiscal.

No Leblon, na filial da Dias Ferreira, os fiscais encontraram 9kg e 695g de carne esverdeada no local onde ficam as que serão moídas. Também foram recolhidos no estabelecimento 28kg e 176g de pastas diversas e 3kg e 40g de muçarela de búfala vencidos, além de 1kg e 492g de manjuba e 8kg e 695g de camarão sem identificação do prazo de validade.

Em um das filiais do Flamengo, na Rua Senador Vergueiro, foram recolhidos 25kg de carne vencida em setembro de 2013. Os fiscais também encontraram 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação do prazo de validade, além de 16 bandejas (500g cada) de carne moída industrializada. Mesmo carne moída industrializada, por lei, não pode ser comercializada no estado do Rio. Em 12 dos supermercados autuados os fiscais identificaram a existência de carne que já vem moída industrializada e terão de ser devolvidas aos produtores.

As filiais do Supermercado Zona Sul que não apresentaram irregularidades foram as seguintes: três em Copacabana (Avenida Rainha Elisabeth, Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Rua Francisco Sá), Jardim Botânico (Rua Pacheco Leão, 16), Recreio (Avenida das Américas, 16237), Gávea (Avenida Rodrigo Otávio, 269), Parque das Rosas (Avenida das Américas, 3665) e Olaria (Avenida Brasil, 9561).

“Fizemos a primeira fiscalização deles quando rebemos uma denúncia em maio do ano passado. Encontramos na ocasião carne podre sendo reprocessada e colocada à venda de novo. Nada mudou, continuam fazendo a mesma coisa. Eles não aprendem. O caso do Supermercado Zona Sul não é mais de defesa do consumidor, mas de polícia”, declarou a secretária de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campos.

Balanço da Operação “Somando Forças”:

1 – Botafogo (Rua Bambina, 36): 9kg e 600g de carne moída em estoque; 1kg e 200g de lombo canadense, 27kg de farinha de rosca e 6kg de linguiça calabresa vencidos.

2 – Jardim Botânico (Rua Jardim Botânico, 81): 50 bandejas (500g) de carne moída Friboi na câmara de resfriamento. Os produtos devem ter outro destino que não seja a venda ao consumidor nesse estado.

3 – São Conrado (Estrada da Gávea, 870): 84kg de carne moída industrializada Friboi, 3kg e 92g de bacalhau do porto sem as devidas especificações, produtos e bebidas diversas armazenados em contato direto com o chão do estabelecimento.

4 – Leme (Avenida Atlântica, 866): 72kg de carne moída industrializada Friboi. Venda suspensa.

5 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1369): 21kg e 600g de carne moída Marfrig.

6 – Humaitá (Rua Humaitá, 110): 32 bandejas (600g) de carne moída Marfrig, 38 bandejas (500g) de carne moída Friboi. Produtos retirados da área de vendas devendo-se dar outra destinação que não seja a venda ao consumidor.

7 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1200): 65kg de carne moída Friboi e 60kg de carne moída Marfrig.

8 – Flamengo (Rua Senador Vergueiro, 51): 25kg de carne vencida em setembro de 2013, 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação, 16 bandejas (500g) de carne moída Friboi destinadas a outro fim que não seja a venda ao consumidor.

9 – Botafogo (Rua Arnaldo Quintela, 70): 25kg e 900g de carne moída embalada.

10 – Leblon (Rua General Artigas, 325): 532g de sobra coxa vencidos e 61kg e 500g de carne moída Friboi.

11 – Leblon (Rua Dias Ferreira, 290): 9kg e 695g de carne com aspecto ruim e cor esverdeada perto da máquina de moer, 1kg e 492g de manjuba e 8kg e 695g de camarão sem identificação, 28kg e 176g de pastas diversas e 3kg e 40g de muçarela de búfala vencidos.

12 – Flamengo (Rua Marquês de Abrantes, 181): 5kg e 316g de carne vencidos, 2kg e 800g de carpaccio com embalagem violada, 14kg e 240g de carne sem especificação e 20 bandejas (500g) de carne moída Friboi que deve ser destinado a outro fim que não seja a venda para os consumidores.

13 – Urca (Rua Marechal Cantuária, 178): 6 embalagens (400g) de polpetone de carne acompanhado de risoto gourmet vencidos e 56kg e 845g de carne moída embalada.

14 – Leblon (Rua Bartolomeu Mitre, 705): 34kg e 580g de carne moída na área de venda.

15 – Laranjeiras (Rua Esteves Júnior, 36): 5kg e 276g de carne vencida, 81 bandejas (500g) de carne moída Friboi.

16 – Leblon (Rua Carlos Góis, 344): 30kg de carne moída Marfrig para devolução ao fabricante.

17 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 591): 180kg de carne moída Friboi.

18 – Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 504): 2kg de pastas vencidas e 3kg de pães sem informação. Máquina de moer interditada.

19 – Ipanema (Rua Prudente de Moraes, 49): 87kg e 960g de alimentos vencidos entre carne bovina, queijos e cream cheese. Máquina de moer interditada.

20 – Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 118): 11kg e 392g de queijos, truta e salmão vencidos; 1kg e 650g de salame e blanquet sem informação e 10kg e 45g de produtos embalados que seriam, aparentemente, revalidados. Máquina de moer interditada.

PROCON “Ataca” novamente!!! Prende gerente do Prezunic

No meio a tanta desordem que anda acontecendo no Rio de Janeiro, um órgão o PROCON não está dando folga para os que não gostam de andar na linha.

Para a nossa alegria, pois já estamos sufocados de tantos inescrupulosidade no setor de alimentos no Rio de Janeiro. Alias não só no Rio mas em todo o Brasil o descaso é uma constante. Alimentação é coisa séria e deve ser tratada com respeito!!!

Segue a reportagem:

Procon-RJ encaminha gerente do Prezunic à Delegacia do Consumidor por esconder carne moída

16.01.2014 – 20:17

A_1389910655.04.jpg

Em nova edição da Operação Boi Ralado, realizada nesta quinta-feira (16/01), a Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon-RJ, vistoriou filiais do Supermercado Prezunic na cidade do Rio com o objetivo de identificar estabelecimentos que comercializam carne previamente moída, o queé proibido no estado. Os fiscais do Procon-RJ conduziram o gerente da filial de Bonsucesso à Delegacia do Consumidor para prestar depoimento por tentar esconder da fiscalização 13,5kg de carne moída. Ao todo, 11 filiais foram autuadas e serão multadas. Na ação foram recolhidos e descartados 410kg e 640g de produtos impróprios para consumo. Desses, 101kg e 340g eram de carne previamente moída.

Na filial de Bonsucesso, os fiscais encontraram a carne moída escondida dentro de embalagens de outras carnes no frigorífico. Além da carne moída, os fiscais recolheram 43kg de carne vencida. Os fiscais interditaram a máquina de moer carne na mais recente filial do Recreio dos Bandeirantes e no Campinho, por estarem localizadas num local em que os consumidores não podem vê-las. E, pelo Decreto Estadual 6538/83, acarnesó pode sermoídana hora da compra e na presença do consumidor. Elas só voltarão a ser utilizadas quando estiverem num local que possam ser vistas pelos clientes.

A filial da Ilha do Governador foi a que teve maior quantidade de produto recolhido: 129kg de pedaços de carne sem Procon1 (1)informação do seu prazo de validade. O gerente informou que essa carne seria descartada, mas se encontrava localizada em local impróprio; ao lado da máquina de moer, que estava com restos de carne moída. No Engenho Novo, a fiscalização encontrou 41kg de carnes que já vieram moídas do fornecedor, o que também contraria as normas do Decreto Estadual 6538/83. Os fiscais orientaram os responsáveis pelo estabelecimento a devolver os pacotes para o fabricante.

Além das 11 filiais autuadas que serão multadas, os fiscais vistoriaram mais seis que não apresentaram irregularidades: Pechincha, Freguesia (Jacarepaguá), Méier, Padre Miguel, Olaria e a antiga filial de Recreio dos Bandeirantes.

Balanço da Operação Boi Ralado:

1 – Itaoca: 43kg de carne vencida e 13kg e 500g de carne moída escondidos no meio das caixas de outras carne da câmara frigorífica com o intuito de iludir os fiscais. O gerente foi encaminhado para a delegacia de polícia especializada (Decon);

2 – Nova Loja Recreio: 658g de carne moída em estoque; 17kg e 530g de carne bovina sem informação. Máquina de moer interditada até que se providencie uma maneira do consumidor ver o procedimento;

3 – Campinho: 32kg de carne moída em estoque e 37kg e 500g de carne sem especificação encontrados no açougue. Máquina de moer interditada;

4 – Ilha do Governador: 129kg de pedaços de carne sem informação ao lado da máquina de moer que estava com restos de carne moída. Segundo o gerente, tal carne estava reservada para descarte, apesar de não estar em local apropriado;

5 – Realengo: 3kg e 700g de tremoços, cereja e bacon vencidos; 8kg e 900g de lasanha, frango e linguiça impróprios para consumo por estarem com a embalagem violada e aparência ruim e 4kg e 500g de carne moída em estoque;

6 – Vista Alegre: 22kg de carne moída em estoque;

7 – Penha: 22kg e 800g de carne moída em estoque;

8 – Cachambi: 35kg de diversas carnes, 1kg de queijo prato e 1kg de salaminho sem especificação encontrados na câmara frigorífica;

9 – Engenho Novo: 26kg e 500g de frango moído e 14kg e 500g de carne moída, ambos da marca Rica, que serão devolvidos ao fabricante. As carnes do supermercado estão sendo moídas somente na presença do consumidor;

10 – Cidade de Deus: 22kg e 500g de linguiça portuguesa vencidos; 3kg e 580g de queijo parmesão visivelmente mofado e 6kg e 590g de queijo prato e linguiça portuguesa sem especificação;

11 – Guadalupe: 5kg e 884g de carne moída em estoque.

A Gastronomia sobre Rodas. São os “Food Trucks”

A gastronomia sempre se reinventando, mas nem tanto…

Apesar da notícia ser nova nos Estados Unidos, para mim, jamais representou novidade. Visto que aqui já existem nossos “trailers ambulantes” há muitos anos.

“O mais engraçado disso tudo, é que: comida de rua no Brasil nunca foi novidade, mas quando a mídia anuncia que um determinado chef ou um restaurante famoso irá montar um trailer em um determinado local, é tanto alvoroço dando a entender que é uma grande novidade.”

Apesar de a legislação sanitária ser igual para todos, na prática não é isso que acontece. Para mim, o que parece é que a fiscalização nesse segmento sempre deixa a desejar. Principalmente nas festas ditas como: Gastronomia de Rua, que vêm explodindo nas grandes cidades.

Aliás, se fôssemos seguir à risca no Brasil, não poderia existir nenhum Trailer de alimentação por ocasião de nossa legislação. Mas isso é outra história.

Discordando um pouco do que o dono do restaurante falou, a concorrência em gastronomia é controvérsia. Acredito em más propostas para diferentes públicos.

Quando um estabelecimento vai mal e o da esquina vai bem, devemos antes de tudo avaliar se estamos fazendo algo de errado.

Bom, a gastronomia é vasta o suficiente para que todos possam trabalhar, basta atuar de maneira certa e para o público certo, usando sempre da estratégia e do marketing na medida certa.

Moço, que maça é esta???

nectarina

Essa me causou um certo espanto. Aconteceu quando estava no caixa de um Hortifruti.

O caixa olhou para mim e perguntou: “Moço, que maça é esta?”

Eu olhei para ele sem entender nada, afinal não tinha nem comprado maça. Rapidamente, olhei  todas as minhas compras, pois poderia ter pego alguma maça sem ter percebido. Já que a idade está chegando né…

nectarina (1)

Foi então que ele me aparece na mão com duas Nectarinas Nacionais.

Após explicar para ele que se tratava de um fruto da família dos pêssegos, ele me olhou com cara de espanto e comentou: “mas poxa, parece muito com uma MAÇA…”

Fiquei pensando a total falta de treinamento que as redes de supermercados e grandes varejistas possuem.

Não é uma crítica é apenas uma realidade presente. O garoto nem deve estar acostumado a consumir frutas, pois para ele isso é artigo de luxo. Pois bem, voltamos ao que interessa.

Breve Estarei colocando uma receita que fiz com que comprei, uma Clafoutis de Nectarina.

A CLAFOUTIS, é uma sobremesa clássica francesa. Podendo ser feita com inúmeros frutos. Sua variação mais famosa é a de Cereja

nectarina2

 

Péssimas propagandas, ótimos exemplos!!!

A cada dia que passa, vejo mais e mais péssimas propagandas em gastronomia e ótimos exemplos de como não fazer algo de uma certa maneira.

faca de ceramica

Às vezes saem fotografias completamente fora da realidade tornando o produto que está se querendo vender  completamente ridículo.

O exemplo de hoje é essa foto que veem no canto direito.

Sem querer analisar a foto do ponto de vista fotográfico, o modelo que está segurando a carne, jamais segurou uma faca em toda a sua vida por dois motivos:

  1. O modo como ele segura a faca pela cabo, parece-me que ele está querendo cortar um pão, completamente sem vigorosidade para o alimento que está sendo cortado e, detalhe sem precisão nenhuma. Cortou-se todos os alimentos extremamente finos e na hora de fazer o corte da foto, finca-se a faca na carne com um “talonete” a ser cortado;
  2. O modo como ele segura o alimento. Ele DOBROU os dedos…jamais se dobra os dedos na hora de cortar alguma coisa. Tentem fazer o teste em casa. Vocês não irão conseguir cortar nem um alface, pois toda nossa precisão está na ponta dos dedos. Qualquer pessoa que realiza um mínimo de trabalho manual sabe disso. Imaginemos um fotógrafo mexendo em sua objetiva com os dedos dobrados??? Ou um artesão de barro fazendo seus trabalhos de dedos dobrados.

Claro que o fotógrafo teve algumas aulas de como fotografar alimentos, pois esta carne ao ponto daquela maneira, sem escorrer um filete de sangue, só mesmo com muito papel toalha. Além disso, a tábua está 0km.

Lembrando pessoal: é proibido o uso de madeira em cozinha.

Ps: Se eu compraria facas de cerâmica??? Gosto de facas de aço, tenho prazer em amolar facas. Além do mais, o fio obtido por meio de uma faca de aço jamais se comprara com o fio de uma cerâmica. A qualidade do corte de uma faca de aço é sem sombra de dúvidas muito superior ao de uma cerâmica