Arquivo da tag: Qualidade higiênico sanitária

Anvisa proíbe venda de 20 marcas de whey protein!!!

whey-protein

Suspensão vale para os lotes testados pela agência, que apresentaram irregularidades na quantidade de nutrientes informada nos rótulos

Veja a reportagem completa na Revista Veja

Os rótulos foram proibidos pois não declaravam exatamente a quantidade de proteínas que estava contidos nos rótulos e alguns deles também tinha produtos não declarados em sua rotulagem como: amido, milho e soja.

Para os que estão pouco se importando, vejam quanto vocês pagam com o whey protein da vida e façam uma comparação de quantos ovos conseguiriam comprar.

As marcas proibidas são:

Super Nitro Whey NO2 – American Line Suplementsproteina-soro-leite
3W – Fast Nutrition
Whey Protein Optimazer – Cyberform
Whey NO2 Pro Baunilha – Pro Corps
Whey NO2 Pro – Pro Corps
Whey 5W Pro – Pro Corps 
Ultra Pure Whey+ Isolate Whey – Nutrilatina Age Superior
Extreme Whey Protein sabor morango – Solaris
Extreme Whey Protein sabor baunilha – Solaris
100% Ultra Whey – Ultratech Supplements
Bio Whey Protein – Performance
Peter Food – Whey NO2 + Creatine
100% Whey Xtreme – Pharma
Super Whey 100% Pure – IntegralMedica
Super Whey 3W – IntegralMedica
Fisio Whey Concentrado NO2
Designer Whey Protein
Muscle Whey Proto NO2 – Neo Nutri
Whey Protein 3W – DNA Design Nutrição Avançada
Isolate Whey – Neo Nutri

Empresas que vendem produtos Integrais terão de ser mais transparentes!!!

paes

Finamente, uma ação pública para deixar a “casa” dos produtos industrializados no Brasil um pouco mais arrumada.

As empresas fabricantes de pão integral, terão até 180 dias para colocar a porcentagem de farinha integral em suas embalagens.

Tal motivação surgiu de promotor Pedro Rubim, da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e do Consumidor do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), onde foram observadas diversas denuncias sobre consumidores questionando a quantidade de farinha integral dentro da formulação de seus pães. Eu inclusive já tentei diversas vezes com as marcas supracitadas no artigo e jamais me deram uma resposta exata da quantidade, sempre diziam que tal formulação era segredo devido a receita do produto, tudo isso para mim é desculpa muito das esfarrapadas.

Infelizmente, as empresas se baseiam em uma resolução, a  263/2055, que regulamenta produtos à base de cereais, amidos e fatinhas , realmente, não estabelece quantias mínimas para alegação de que o produto é integral. “Dessa forma, se o produto utiliza qualquer quantidade de farinha integral em sua composição, a rotulagem alegará que há farinha integral em sua formulação”, explica a nota da reguladora.

A questão tomou tanta relevância que já tramita no Congresso Nacional o projeto de lei 5.081/2013, do deputado Onofre Santo Agostini (PSD/SC), que estabelece que para se intitular integral, o produto terá que apresentar em sua composição mais de 51% de grão integrais. O projeto já passou pela Comissão de Desenvolvimento Econômico e Comércio da Câmara dos Deputados, onde teve parecer favorável e ganhou um substitutivo, inclusive com acréscimo sugeridos pela Anvisa, como a ampliação dos parâmetros a outros produtos integrais como bolos, biscoitos, macarrão e até as próprias farinhas. A reguladora também sugere que a lei preveja uma punição por descumprimento. Agora o texto está na Comissão de Defesa do Consumidor, explica o autor do projeto Agostini.

Vamos ver se as empresas cumprem com o prometido!!!

Agora foi a vez dos Supermercados Zona Sul – PROCON mais uma vez!!!

zona-sul

 

Se a Fiscalização sanitária não ajuda, ao meno o PROCON tem estado bastante ocupado no Rio de Janeiro.

O que eu fico mais impressionado é o balanço final da operação. Os números são astronomicamente, jesus cristo carne vencida desde setembro e em Copacabana teve somente 180kg de carne apreendida de uma só vez. Em destaque para os:

4 – Leme (Avenida Atlântica, 866): 72kg de carne moída industrializada Friboi. Venda suspensa.

5 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1369): 21kg e 600g de carne moída Marfrig.

6 – Humaitá (Rua Humaitá, 110): 32 bandejas (600g) de carne moída Marfrig, 38 bandejas (500g) de carne moída Friboi. Produtos retirados da área de vendas devendo-se dar outra destinação que não seja a venda ao consumidor.

7 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1200): 65kg de carne moída Friboi e 60kg de carne moída Marfrig.

8 – Flamengo (Rua Senador Vergueiro, 51): 25kg de carne vencida em setembro de 2013, 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação, 16 bandejas (500g) de carne moída Friboi destinadas a outro fim que não seja a venda ao consumidor.

9 – Botafogo (Rua Arnaldo Quintela, 70): 25kg e 900g de carne moída embalada.

14 – Leblon (Rua Bartolomeu Mitre, 705): 34kg e 580g de carne moída na área de venda.

16 – Leblon (Rua Carlos Góis, 344): 30kg de carne moída Marfrig para devolução ao fabricante.

17 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 591): 180kg de carne moída Friboi.

19 – Ipanema (Rua Prudente de Moraes, 49): 87kg e 960g de alimentos vencidos entre carne bovina, queijos e cream cheese. Máquina de moer interditada.

 

 

 

Segue a Notícia na integra:

Procon Estadual recolhe mais de uma tonelada de produtos impróprios no supermercado Zona Sul

ASecretariade Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon Estadual, realizou nesta terça-feira (28/01) uma fiscalização, em conjunto com a Secretariade Estado de Fazenda, nas filiais da rede de supermercado Zona Sul. No total, a operação vistoriou 28 estabelecimentos, dos quais o Procon Estadual autuou 20,zonasul2 que serão multados. Desses, 17 cometiam uma irregularidade em comum: a venda de carne previamente moída – o que é proibido no estado do Rio. Foram recolhidos pela fiscalização mais de uma tonelada de produtos impróprios para consumo, dos quais 822kg eram de carne moída.

O objetivo da ação conjunta foi identificar redes de varejo que estejam com produtos vencidos, infligindo o Código de Defesa do Consumidor e praticando sonegação fiscal.

No Leblon, na filial da Dias Ferreira, os fiscais encontraram 9kg e 695g de carne esverdeada no local onde ficam as que serão moídas. Também foram recolhidos no estabelecimento 28kg e 176g de pastas diversas e 3kg e 40g de muçarela de búfala vencidos, além de 1kg e 492g de manjuba e 8kg e 695g de camarão sem identificação do prazo de validade.

Em um das filiais do Flamengo, na Rua Senador Vergueiro, foram recolhidos 25kg de carne vencida em setembro de 2013. Os fiscais também encontraram 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação do prazo de validade, além de 16 bandejas (500g cada) de carne moída industrializada. Mesmo carne moída industrializada, por lei, não pode ser comercializada no estado do Rio. Em 12 dos supermercados autuados os fiscais identificaram a existência de carne que já vem moída industrializada e terão de ser devolvidas aos produtores.

As filiais do Supermercado Zona Sul que não apresentaram irregularidades foram as seguintes: três em Copacabana (Avenida Rainha Elisabeth, Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Rua Francisco Sá), Jardim Botânico (Rua Pacheco Leão, 16), Recreio (Avenida das Américas, 16237), Gávea (Avenida Rodrigo Otávio, 269), Parque das Rosas (Avenida das Américas, 3665) e Olaria (Avenida Brasil, 9561).

“Fizemos a primeira fiscalização deles quando rebemos uma denúncia em maio do ano passado. Encontramos na ocasião carne podre sendo reprocessada e colocada à venda de novo. Nada mudou, continuam fazendo a mesma coisa. Eles não aprendem. O caso do Supermercado Zona Sul não é mais de defesa do consumidor, mas de polícia”, declarou a secretária de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campos.

Balanço da Operação “Somando Forças”:

1 – Botafogo (Rua Bambina, 36): 9kg e 600g de carne moída em estoque; 1kg e 200g de lombo canadense, 27kg de farinha de rosca e 6kg de linguiça calabresa vencidos.

2 – Jardim Botânico (Rua Jardim Botânico, 81): 50 bandejas (500g) de carne moída Friboi na câmara de resfriamento. Os produtos devem ter outro destino que não seja a venda ao consumidor nesse estado.

3 – São Conrado (Estrada da Gávea, 870): 84kg de carne moída industrializada Friboi, 3kg e 92g de bacalhau do porto sem as devidas especificações, produtos e bebidas diversas armazenados em contato direto com o chão do estabelecimento.

4 – Leme (Avenida Atlântica, 866): 72kg de carne moída industrializada Friboi. Venda suspensa.

5 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1369): 21kg e 600g de carne moída Marfrig.

6 – Humaitá (Rua Humaitá, 110): 32 bandejas (600g) de carne moída Marfrig, 38 bandejas (500g) de carne moída Friboi. Produtos retirados da área de vendas devendo-se dar outra destinação que não seja a venda ao consumidor.

7 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1200): 65kg de carne moída Friboi e 60kg de carne moída Marfrig.

8 – Flamengo (Rua Senador Vergueiro, 51): 25kg de carne vencida em setembro de 2013, 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação, 16 bandejas (500g) de carne moída Friboi destinadas a outro fim que não seja a venda ao consumidor.

9 – Botafogo (Rua Arnaldo Quintela, 70): 25kg e 900g de carne moída embalada.

10 – Leblon (Rua General Artigas, 325): 532g de sobra coxa vencidos e 61kg e 500g de carne moída Friboi.

11 – Leblon (Rua Dias Ferreira, 290): 9kg e 695g de carne com aspecto ruim e cor esverdeada perto da máquina de moer, 1kg e 492g de manjuba e 8kg e 695g de camarão sem identificação, 28kg e 176g de pastas diversas e 3kg e 40g de muçarela de búfala vencidos.

12 – Flamengo (Rua Marquês de Abrantes, 181): 5kg e 316g de carne vencidos, 2kg e 800g de carpaccio com embalagem violada, 14kg e 240g de carne sem especificação e 20 bandejas (500g) de carne moída Friboi que deve ser destinado a outro fim que não seja a venda para os consumidores.

13 – Urca (Rua Marechal Cantuária, 178): 6 embalagens (400g) de polpetone de carne acompanhado de risoto gourmet vencidos e 56kg e 845g de carne moída embalada.

14 – Leblon (Rua Bartolomeu Mitre, 705): 34kg e 580g de carne moída na área de venda.

15 – Laranjeiras (Rua Esteves Júnior, 36): 5kg e 276g de carne vencida, 81 bandejas (500g) de carne moída Friboi.

16 – Leblon (Rua Carlos Góis, 344): 30kg de carne moída Marfrig para devolução ao fabricante.

17 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 591): 180kg de carne moída Friboi.

18 – Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 504): 2kg de pastas vencidas e 3kg de pães sem informação. Máquina de moer interditada.

19 – Ipanema (Rua Prudente de Moraes, 49): 87kg e 960g de alimentos vencidos entre carne bovina, queijos e cream cheese. Máquina de moer interditada.

20 – Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 118): 11kg e 392g de queijos, truta e salmão vencidos; 1kg e 650g de salame e blanquet sem informação e 10kg e 45g de produtos embalados que seriam, aparentemente, revalidados. Máquina de moer interditada.

PROCON “Ataca” novamente!!! Prende gerente do Prezunic

No meio a tanta desordem que anda acontecendo no Rio de Janeiro, um órgão o PROCON não está dando folga para os que não gostam de andar na linha.

Para a nossa alegria, pois já estamos sufocados de tantos inescrupulosidade no setor de alimentos no Rio de Janeiro. Alias não só no Rio mas em todo o Brasil o descaso é uma constante. Alimentação é coisa séria e deve ser tratada com respeito!!!

Segue a reportagem:

Procon-RJ encaminha gerente do Prezunic à Delegacia do Consumidor por esconder carne moída

16.01.2014 – 20:17

A_1389910655.04.jpg

Em nova edição da Operação Boi Ralado, realizada nesta quinta-feira (16/01), a Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon-RJ, vistoriou filiais do Supermercado Prezunic na cidade do Rio com o objetivo de identificar estabelecimentos que comercializam carne previamente moída, o queé proibido no estado. Os fiscais do Procon-RJ conduziram o gerente da filial de Bonsucesso à Delegacia do Consumidor para prestar depoimento por tentar esconder da fiscalização 13,5kg de carne moída. Ao todo, 11 filiais foram autuadas e serão multadas. Na ação foram recolhidos e descartados 410kg e 640g de produtos impróprios para consumo. Desses, 101kg e 340g eram de carne previamente moída.

Na filial de Bonsucesso, os fiscais encontraram a carne moída escondida dentro de embalagens de outras carnes no frigorífico. Além da carne moída, os fiscais recolheram 43kg de carne vencida. Os fiscais interditaram a máquina de moer carne na mais recente filial do Recreio dos Bandeirantes e no Campinho, por estarem localizadas num local em que os consumidores não podem vê-las. E, pelo Decreto Estadual 6538/83, acarnesó pode sermoídana hora da compra e na presença do consumidor. Elas só voltarão a ser utilizadas quando estiverem num local que possam ser vistas pelos clientes.

A filial da Ilha do Governador foi a que teve maior quantidade de produto recolhido: 129kg de pedaços de carne sem Procon1 (1)informação do seu prazo de validade. O gerente informou que essa carne seria descartada, mas se encontrava localizada em local impróprio; ao lado da máquina de moer, que estava com restos de carne moída. No Engenho Novo, a fiscalização encontrou 41kg de carnes que já vieram moídas do fornecedor, o que também contraria as normas do Decreto Estadual 6538/83. Os fiscais orientaram os responsáveis pelo estabelecimento a devolver os pacotes para o fabricante.

Além das 11 filiais autuadas que serão multadas, os fiscais vistoriaram mais seis que não apresentaram irregularidades: Pechincha, Freguesia (Jacarepaguá), Méier, Padre Miguel, Olaria e a antiga filial de Recreio dos Bandeirantes.

Balanço da Operação Boi Ralado:

1 – Itaoca: 43kg de carne vencida e 13kg e 500g de carne moída escondidos no meio das caixas de outras carne da câmara frigorífica com o intuito de iludir os fiscais. O gerente foi encaminhado para a delegacia de polícia especializada (Decon);

2 – Nova Loja Recreio: 658g de carne moída em estoque; 17kg e 530g de carne bovina sem informação. Máquina de moer interditada até que se providencie uma maneira do consumidor ver o procedimento;

3 – Campinho: 32kg de carne moída em estoque e 37kg e 500g de carne sem especificação encontrados no açougue. Máquina de moer interditada;

4 – Ilha do Governador: 129kg de pedaços de carne sem informação ao lado da máquina de moer que estava com restos de carne moída. Segundo o gerente, tal carne estava reservada para descarte, apesar de não estar em local apropriado;

5 – Realengo: 3kg e 700g de tremoços, cereja e bacon vencidos; 8kg e 900g de lasanha, frango e linguiça impróprios para consumo por estarem com a embalagem violada e aparência ruim e 4kg e 500g de carne moída em estoque;

6 – Vista Alegre: 22kg de carne moída em estoque;

7 – Penha: 22kg e 800g de carne moída em estoque;

8 – Cachambi: 35kg de diversas carnes, 1kg de queijo prato e 1kg de salaminho sem especificação encontrados na câmara frigorífica;

9 – Engenho Novo: 26kg e 500g de frango moído e 14kg e 500g de carne moída, ambos da marca Rica, que serão devolvidos ao fabricante. As carnes do supermercado estão sendo moídas somente na presença do consumidor;

10 – Cidade de Deus: 22kg e 500g de linguiça portuguesa vencidos; 3kg e 580g de queijo parmesão visivelmente mofado e 6kg e 590g de queijo prato e linguiça portuguesa sem especificação;

11 – Guadalupe: 5kg e 884g de carne moída em estoque.

Conduta crítica sobre o frigorífico FRIBOI

carneos

Pronunciamento da Senadora Kátia Abreu no Senado Federal sobre o Frigorífico Friboi.

O pronunciamento tem 16 minutos e vale a pena dar uma conferida, pois quando trabalhamos com alimentação temos por obrigação zelar sobre a alimentação daqueles que consomem nossos alimentos.

Vale lembrar:

  • S.I.E.:O Serviço de Inspeção Estadual (SIE) tem como objetivo inspecionar, fiscalizar e controlar
    aspectos higiênico-sanitário dos produtos, bem como cadastrar e credenciar estabelecimentossie
    que comercializam e realizam as atividades de produção, armazenamento e beneficiamento de
    produtos de origem animal, seja eles comestíveis e/ou não comestíveis, adicionado ou não à
    produtos vegetais preparados, transformados, manipulados, recebidos, acondicionados,
    depositados e em trânsito, no território ESTADUAL e originários de estabelecimento que façam
    comércio intermunicipal propiciando, assim, a oferta de alimentos seguros à população.
  • S.I.F.:Tem por objetivo, a qualidade dos produtos e subprodutos de origem animal.  Desde o processo de abatesif das diversas espécies de animais até a elaboração dos produtos de origem animal comestíveis e os não comestíveis. A área de atuação esta atrelada às industrias. E, em casos extremos, também atuar no comércio varejista (parcerias). As empresas que pretendem atuar no comércio Interestadual e/ou Internacional. Por lei, são obrigados a se registrarem no MAPA

Tecnicamente se quisermos produtos de “melhor”procedência deveremos sempre procurar os que possuem o SIF, pois estes seguem um controle mais rígido higiênico sanitário

Os selos SIF e SIE abrangem os seguintes produtos:

  • Carnes e seus derivados
  • Ovos
  • Pescados
  • Leite e derivados
  • Mel e produtos apícolas
  • Aves

Procon apreende 105kg de alimentos vencidos em Jacarepaguá

Obrigado PROCON… estávamos sim precisando de uma faxina por aqui.

Detalhe para o 10º e o 20º apreendidos, os Restaurantes Planalto do Chopp e Rancho Verde: um tinha 110L e o outro 50L de chope vencido. Sim apenas 160 litrinhos ao total…pouca coisa né.

O PROCON, deveria fazer uma faxina mensalmente aqui na região.

Segue a notícia (matéria do dia 21/08/2013)

O Procon-RJ fiscalizou, ontem, 42 estabelecimentos comerciais — entre lojas, restaurantes, bancos e padarias — nos sub-bairros Taquara, Freguesia e Pechincha, em Jacarepaguá. Vinte deles foram autuados por irregularidades.2013-639117672-2013082104569.jpg_20130821 A Operação Renascer apreendeu cerca de 105 quilos de alimentos.

Segundo o órgão estadual, o caso mais grave foi encontrado na padaria Nobreza, na Taquara, onde os fiscais apreenderam 7,5 quiloss de alimentos vencidos, entre bacon, risoto, pão de queijo e margarina. No Planalto do Chopp, no Pechincha, havia 110 litros de chope com validade vencida.

Lojas e bancos foram autuados por falta de informações de preços e assentos para idosos, respectivamente.

Os autuados na Operação Renascer:

1 – Loja Sonho dos Pés (Passarela de Jacarepaguá): Destaque ao valor parcelado do produto com letras em fonte maior que o valor à vista, o que é proibido por lei;

2 – Loja Bagaggio (Freguesia): Valor parcelado do produto em maior destaque que o valor à vista;

3 – Lojas Magal (Freguesia): Não coloca preço nos produtos;

4 – Loja Utilicasa (Freguesia): Não coloca preço nos produtos;

5 – Banco Bradesco (Estrada do Tindiba – Taquara): Só disponibiliza um dos 15 assentos, previstos por lei, para atendimentos prioritários;

6 – Bar e Restaurante Três Rios (Freguesia): 7kg de alimentos fora do prazo de validade entre frango e linguiça, além de 3kg e 900g de camarão, presunto e palmito sem informação;

7 – Toca da Traíra (Freguesia): 3kg e 800g de produtos sem informação entre peixes e camarão;

8 – Oficina do Sabor (Taquara): 30 litros de xarope de refrigerante vencidos desde junho;

9 – Churrascaria Rei do Gado/Lampião (Estrada dos Bandeirantes): 5kg e 800g de produtos vencidos entre salmão, carne suína, chantily e chocolate em calda, além de 1kg e 700g de linguiça, requeijão, queijo cheddar e queijo coalho sem informação;

10 – Planalto do Chopp (Avenida Geremário Dantas): 110 litros de chope vencido, 5kg e 600g de picanha, queijo e carne assada vencidos, além de 6kg e 290g de produtos sem informação, entre eles: linguiça pronta de feijoada para ser reaproveitada;

11 – Loja Ortobom (Estrada do Tindiba): Produtos sem preço e com o valor parcelado em maior destaque que o valor à vista;

12 – Loja Sonobello (Estrada do Tindiba): Produtos sem preço e com o valor parcelado em maior destaque que o valor à vista;

13 – Ortobom (Avenida Geremário Dantas): Valor parcelado do produto em maior destaque que o valor à vista;

14 – Cara Pintada (Taquara): 8kg de peixe namorado vencido e 10kg e 500g de produtos sem informação entre queijos, linguiça, polenta e camarão;

15 – Padaria Nobreza (Praça da Taquara): Limpeza precária, câmara fria enferrujada, 7kg e 500g de alimentos vencidos entre bacon, caixa de risoto, pão de queijo e margarina, além de 32kg de produtos sem informação entre camarão, salsicha, azeitona, palmito, bacalhau e frango.

16 – HSBC (Estrada dos Três Rios): Ausência dos 15 assentos para atendimentos prioritários;

17 – Banco Santander (Estrada dos Três Rios): Falta de caixas eletrônicos adaptados, cartaz informando o tempo máximo permitido para espera nas filas e dos 15 assentos para atendimentos prioritários;

18 – Flor e Bela (Praça Professora Camisão – Freguesia): Produtos sem preço na vitrine;

19 – Bar e Restaurante Vista Alegre (Estrada dos Três Rios): 12kg 720g de carne, frango, presunto e queijo sem informação;

20 – Restaurante Rancho Verde (Avenida Geremário Dantas): 50 litros de chope vencido, 3 tortas e 20 potes de mousse sem informação

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/economia/procon-apreende-105kg-de-alimentos-improprios-para-consumo-em-jacarepagua-9651990.html#ixzz2chMsfg4J

Atenção: Passo ponto PADARIA “completa”!!!

Saiu um anúncio no OLX ontem (27/06/2013) que me intrigou muito. E gostaria de compartilhar com vocês.

A loja fica em Mangaratiba, mas poderia ficar em qualquer lugar do Brasil.

Para mim não importa pois o asseio e higiene deveria ser o mesmo.

Segue a descrição do anúncio.

Padaria com grande salão, cozinha, produção, fornalha, estoque e banheiro. Toda equipada com 10 carrinhos, 02 fornos, 02 batedeiras, 01 cilindro, 01 modeladora, 01 maquina para gelar água, 01 cortador de massa, 01 maquina para fazer farinha de rosca, 02 mesas para trabalhar com a massa, 01 fogão industrial de três bocas, 03 freezeres horizontais, 02 freezeres verticais, 01 balança, 01 fatiadora, 03 balcões, 02 balcões refrigerados, 01 chapa, 01 forno elétrico, 07 estantes e uma vitrine de vidro. Aluguel de R$ 6.000,00 Luva de R$ 65.000,00. Excelente ponto, única nas imediações, grande chance de se tornar um negócio altamente lucrativo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vamos DENUNCIAR as autoridades. Um estabelecimento desse não pode ficar do jeito que está vendendo insumos com nenhuma higiene para seus consumidores.

O detalhe, o dono quer R$65 mil de luva pelo local e maquinário. 

Acho que se fosse comentar item por item não iria sobrar um que se salvasse nessa padaria.