Arquivo da tag: Rio de Janeiro

Rio terá Comissão de Gastronomia

Resultado de imagem para rio de janeiro

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC), por meio da  Superintendência de Economia Criativa e da Incubadora Rio Criativo está com edital aberto para a instituição da primeira Comissão de Gastronomia do Estado do Rio de Janeiro. Até o dia 19 de julho serão aceitas inscrições para candidatos e eleitores para o processo de eleição online. Serão eleitos 20 representantes da sociedade civil que atuam no campo da alimentação e cultura. O público poderá participar como eleitor, apoiando a candidatura de 10 diferentes segmentos, entre os quais, entidades que atuam com o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA); movimento da sociedade civil que atue com Gastronomia, Comunidade Tradicional e organização do movimento de mulheres.

Para se candidatar a uma das representações, basta informar os dados do titular e suplente, anexar uma foto de cada membro, uma breve justificativa. Já os eleitores, basta informar os dados pessoais.

 Para apoiar nossa candidatura e as demais representações, ou se inscrever como candidato, acesse https://tinyurl.com/y9gzyc25 

A publicação dos eleitores e candidatos habilitados sairá no dia 25 de julho. De 07 a 11 de agosto será o período de votação pelo site da SEC. O resultado será divulgado no dia 15 de agosto. A comissão também será composta por sete representantes do poder legislativo, uma representação do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado (Consea) e uma da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

A instituição da Comissão de Gastronomia é uma das diretrizes do Marco Referencial da Gastronomia como Cultura do Estado do Rio de Janeiro (Lei 7180/2015). A lei tem como Resultado de imagem para comissão de gastronomiaobjetivo abordar a gastronomia como uma política cultural ao dar visibilidade e fortalecer as culturas alimentares regionais, as atividades produtivas, comerciais, educacionais e  artísticas, ligadas pela relação com a comida, a sociedade e o território.

A comissão terá a incumbência de acompanhar as diretrizes da lei, conferir o selo Gastronomia é Cultura e fomentar a Semana da Gastronomia do Estado do Rio, que ocorrerá na terceira semana de setembro.

As informações completas sobre o processo de eleição do edital serão divulgadas durante o lançamento e estarão disponíveis na página da Secretaria de Cultura.

Para conhecer o Marco Referencial da Gastronomia como Cultura, acesse: https://tinyurl.com/ybhly96u

Para saber mais informações sobre o edital, confira o guia com as perguntas mais frequentes: https://goo.gl/ZM31eZ 

Anúncios

Empresas que vendem produtos Integrais terão de ser mais transparentes!!!

paes

Finamente, uma ação pública para deixar a “casa” dos produtos industrializados no Brasil um pouco mais arrumada.

As empresas fabricantes de pão integral, terão até 180 dias para colocar a porcentagem de farinha integral em suas embalagens.

Tal motivação surgiu de promotor Pedro Rubim, da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e do Consumidor do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), onde foram observadas diversas denuncias sobre consumidores questionando a quantidade de farinha integral dentro da formulação de seus pães. Eu inclusive já tentei diversas vezes com as marcas supracitadas no artigo e jamais me deram uma resposta exata da quantidade, sempre diziam que tal formulação era segredo devido a receita do produto, tudo isso para mim é desculpa muito das esfarrapadas.

Infelizmente, as empresas se baseiam em uma resolução, a  263/2055, que regulamenta produtos à base de cereais, amidos e fatinhas , realmente, não estabelece quantias mínimas para alegação de que o produto é integral. “Dessa forma, se o produto utiliza qualquer quantidade de farinha integral em sua composição, a rotulagem alegará que há farinha integral em sua formulação”, explica a nota da reguladora.

A questão tomou tanta relevância que já tramita no Congresso Nacional o projeto de lei 5.081/2013, do deputado Onofre Santo Agostini (PSD/SC), que estabelece que para se intitular integral, o produto terá que apresentar em sua composição mais de 51% de grão integrais. O projeto já passou pela Comissão de Desenvolvimento Econômico e Comércio da Câmara dos Deputados, onde teve parecer favorável e ganhou um substitutivo, inclusive com acréscimo sugeridos pela Anvisa, como a ampliação dos parâmetros a outros produtos integrais como bolos, biscoitos, macarrão e até as próprias farinhas. A reguladora também sugere que a lei preveja uma punição por descumprimento. Agora o texto está na Comissão de Defesa do Consumidor, explica o autor do projeto Agostini.

Vamos ver se as empresas cumprem com o prometido!!!

Agora foi a vez dos Supermercados Zona Sul – PROCON mais uma vez!!!

zona-sul

 

Se a Fiscalização sanitária não ajuda, ao meno o PROCON tem estado bastante ocupado no Rio de Janeiro.

O que eu fico mais impressionado é o balanço final da operação. Os números são astronomicamente, jesus cristo carne vencida desde setembro e em Copacabana teve somente 180kg de carne apreendida de uma só vez. Em destaque para os:

4 – Leme (Avenida Atlântica, 866): 72kg de carne moída industrializada Friboi. Venda suspensa.

5 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1369): 21kg e 600g de carne moída Marfrig.

6 – Humaitá (Rua Humaitá, 110): 32 bandejas (600g) de carne moída Marfrig, 38 bandejas (500g) de carne moída Friboi. Produtos retirados da área de vendas devendo-se dar outra destinação que não seja a venda ao consumidor.

7 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1200): 65kg de carne moída Friboi e 60kg de carne moída Marfrig.

8 – Flamengo (Rua Senador Vergueiro, 51): 25kg de carne vencida em setembro de 2013, 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação, 16 bandejas (500g) de carne moída Friboi destinadas a outro fim que não seja a venda ao consumidor.

9 – Botafogo (Rua Arnaldo Quintela, 70): 25kg e 900g de carne moída embalada.

14 – Leblon (Rua Bartolomeu Mitre, 705): 34kg e 580g de carne moída na área de venda.

16 – Leblon (Rua Carlos Góis, 344): 30kg de carne moída Marfrig para devolução ao fabricante.

17 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 591): 180kg de carne moída Friboi.

19 – Ipanema (Rua Prudente de Moraes, 49): 87kg e 960g de alimentos vencidos entre carne bovina, queijos e cream cheese. Máquina de moer interditada.

 

 

 

Segue a Notícia na integra:

Procon Estadual recolhe mais de uma tonelada de produtos impróprios no supermercado Zona Sul

ASecretariade Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon Estadual, realizou nesta terça-feira (28/01) uma fiscalização, em conjunto com a Secretariade Estado de Fazenda, nas filiais da rede de supermercado Zona Sul. No total, a operação vistoriou 28 estabelecimentos, dos quais o Procon Estadual autuou 20,zonasul2 que serão multados. Desses, 17 cometiam uma irregularidade em comum: a venda de carne previamente moída – o que é proibido no estado do Rio. Foram recolhidos pela fiscalização mais de uma tonelada de produtos impróprios para consumo, dos quais 822kg eram de carne moída.

O objetivo da ação conjunta foi identificar redes de varejo que estejam com produtos vencidos, infligindo o Código de Defesa do Consumidor e praticando sonegação fiscal.

No Leblon, na filial da Dias Ferreira, os fiscais encontraram 9kg e 695g de carne esverdeada no local onde ficam as que serão moídas. Também foram recolhidos no estabelecimento 28kg e 176g de pastas diversas e 3kg e 40g de muçarela de búfala vencidos, além de 1kg e 492g de manjuba e 8kg e 695g de camarão sem identificação do prazo de validade.

Em um das filiais do Flamengo, na Rua Senador Vergueiro, foram recolhidos 25kg de carne vencida em setembro de 2013. Os fiscais também encontraram 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação do prazo de validade, além de 16 bandejas (500g cada) de carne moída industrializada. Mesmo carne moída industrializada, por lei, não pode ser comercializada no estado do Rio. Em 12 dos supermercados autuados os fiscais identificaram a existência de carne que já vem moída industrializada e terão de ser devolvidas aos produtores.

As filiais do Supermercado Zona Sul que não apresentaram irregularidades foram as seguintes: três em Copacabana (Avenida Rainha Elisabeth, Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Rua Francisco Sá), Jardim Botânico (Rua Pacheco Leão, 16), Recreio (Avenida das Américas, 16237), Gávea (Avenida Rodrigo Otávio, 269), Parque das Rosas (Avenida das Américas, 3665) e Olaria (Avenida Brasil, 9561).

“Fizemos a primeira fiscalização deles quando rebemos uma denúncia em maio do ano passado. Encontramos na ocasião carne podre sendo reprocessada e colocada à venda de novo. Nada mudou, continuam fazendo a mesma coisa. Eles não aprendem. O caso do Supermercado Zona Sul não é mais de defesa do consumidor, mas de polícia”, declarou a secretária de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campos.

Balanço da Operação “Somando Forças”:

1 – Botafogo (Rua Bambina, 36): 9kg e 600g de carne moída em estoque; 1kg e 200g de lombo canadense, 27kg de farinha de rosca e 6kg de linguiça calabresa vencidos.

2 – Jardim Botânico (Rua Jardim Botânico, 81): 50 bandejas (500g) de carne moída Friboi na câmara de resfriamento. Os produtos devem ter outro destino que não seja a venda ao consumidor nesse estado.

3 – São Conrado (Estrada da Gávea, 870): 84kg de carne moída industrializada Friboi, 3kg e 92g de bacalhau do porto sem as devidas especificações, produtos e bebidas diversas armazenados em contato direto com o chão do estabelecimento.

4 – Leme (Avenida Atlântica, 866): 72kg de carne moída industrializada Friboi. Venda suspensa.

5 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1369): 21kg e 600g de carne moída Marfrig.

6 – Humaitá (Rua Humaitá, 110): 32 bandejas (600g) de carne moída Marfrig, 38 bandejas (500g) de carne moída Friboi. Produtos retirados da área de vendas devendo-se dar outra destinação que não seja a venda ao consumidor.

7 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1200): 65kg de carne moída Friboi e 60kg de carne moída Marfrig.

8 – Flamengo (Rua Senador Vergueiro, 51): 25kg de carne vencida em setembro de 2013, 124kg de carne e 21kg e 730g de pão congelado sem especificação, 16 bandejas (500g) de carne moída Friboi destinadas a outro fim que não seja a venda ao consumidor.

9 – Botafogo (Rua Arnaldo Quintela, 70): 25kg e 900g de carne moída embalada.

10 – Leblon (Rua General Artigas, 325): 532g de sobra coxa vencidos e 61kg e 500g de carne moída Friboi.

11 – Leblon (Rua Dias Ferreira, 290): 9kg e 695g de carne com aspecto ruim e cor esverdeada perto da máquina de moer, 1kg e 492g de manjuba e 8kg e 695g de camarão sem identificação, 28kg e 176g de pastas diversas e 3kg e 40g de muçarela de búfala vencidos.

12 – Flamengo (Rua Marquês de Abrantes, 181): 5kg e 316g de carne vencidos, 2kg e 800g de carpaccio com embalagem violada, 14kg e 240g de carne sem especificação e 20 bandejas (500g) de carne moída Friboi que deve ser destinado a outro fim que não seja a venda para os consumidores.

13 – Urca (Rua Marechal Cantuária, 178): 6 embalagens (400g) de polpetone de carne acompanhado de risoto gourmet vencidos e 56kg e 845g de carne moída embalada.

14 – Leblon (Rua Bartolomeu Mitre, 705): 34kg e 580g de carne moída na área de venda.

15 – Laranjeiras (Rua Esteves Júnior, 36): 5kg e 276g de carne vencida, 81 bandejas (500g) de carne moída Friboi.

16 – Leblon (Rua Carlos Góis, 344): 30kg de carne moída Marfrig para devolução ao fabricante.

17 – Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 591): 180kg de carne moída Friboi.

18 – Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 504): 2kg de pastas vencidas e 3kg de pães sem informação. Máquina de moer interditada.

19 – Ipanema (Rua Prudente de Moraes, 49): 87kg e 960g de alimentos vencidos entre carne bovina, queijos e cream cheese. Máquina de moer interditada.

20 – Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 118): 11kg e 392g de queijos, truta e salmão vencidos; 1kg e 650g de salame e blanquet sem informação e 10kg e 45g de produtos embalados que seriam, aparentemente, revalidados. Máquina de moer interditada.